FreeBSD: “chroot” num pool de armazenamento em ZFS

Recentemente um dos servidores FreeBSD aqui onde trabalho apresentou problemas devido a uma configuração incorreta e não conseguia finalizar o processo de boot, o que impossibilitava o acesso aos seus arquivos e consequentemente ao gerenciamento do mesmo. Esta máquina está configurada com um pool de armazenamento em ZFS com 4 HD’s de 3TB, e roda o Samba para compartilhamento de arquivos. Após algumas pesquisas na internet (muitas na verdade!), consegui fazer uma espécie de “chroot” no pool ZFS e reverter a configuração, devolvendo a “vida” 😀 a esse servidor. Deixando de enrolação, vamos ao passo-a-passo que foi realizado.
Continuar lendo

Anúncios

Samba: Servidor de arquivos inacessível após queda do link de internet

Recentemente montei um servidor de arquivos com o Samba no FreeBSD, até aí tudo perfeito, tudo legal! Serviço rodando tranquilão, com autenticação de usuários, cotas de disco e tudo mais que se tem direito. MAS num belo dia, nosso link de internet ficou off e aí começou a “treta”!!! O servidor ficou inacessível, mesmo minha LAN funcionando normalmente. Continuar lendo

Otimizando suas consultas de DNS

Há um bom tempo atrás postei uma dica na qual era possível balancear consultas de DNS, simplesmente editando o arquivo ‘/etc/resolv.conf’. A dica é essa: Balanceando consultas de DNS no /etc/resolv.conf. Bem, passado esse tempo todo venho novamente postar uma dica parecida, mas não igual! 😛 Rsrsrsrs… O foco dessa nova dica é otimizar principalmente o tempo de resposta das consultas, bem como o número de tentativas a serem feitas pelas rotinas do S.O. responsáveis pelas resoluções de nomes. Pra que tudo isso seja possível, basta definir a seguinte variável de ambiente: Continuar lendo

nmap: verificando os ip’s em uso na rede

Geralmente pra se detectar se um endereço IP está ativo na rede, usa-se o bom e velho ping, mas a situação fica um pouco mais “delicada” quando você deseja obter uma relaçao de quais IP’s em sua rede estão em uso, não é verdade?
Bem, alguns administradores criam scripts que varrem a rede para realizar essa descoberta. Mas saiba que você não precisar necessariamente fazer isso! Pra tal, você simplesmente pode utilizar um “canivete suiço” chamado nmap 🙂 com a seguinte sintaxe:

nmap -v -sn -oG - xxx.xxx.xxx.xxx/yy

Continuar lendo